Oscar 2018 – Conheça mais dos candidatos a melhor filme


Saiba mais sobre os principais nomes da premiação, e nossas considerações sobre eles

Nesse domingo acontece a 90.ª cerimônia de entrega dos Oscar (Academy Awards), e como não poderia deixar de ser falamos um pouquinho sobre os indicados a melhor filme. Confira nosso especial e escolha seu preferido!

Corra!
(Get Out )

Daniel Kaluuya (também em “Pantera Negra”) mostrou em que sua indicação a melhor ator foi acertada.“Corra!” é daquele tipo de filme que te deixa sem fôlego, esperando pelo desfecho.  Nele, o ator interpreta Chris, um jovem que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams, da série ‘Girls’). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas com o tempo ele percebe que a família esconde algo muito mais perturbador. Criando um estilo bem singular, é suspense com traços de terror e com questões sociais importantes e roteiro e direção muito bem desenvolvidos por Jordan Peele, entregando um longa-metragem repleto de reviravoltas que também foi indicado a melhor diretor e melhor roteiro original. Sem dúvidas, uma excelente experiência cinematográfica! 

Dunkirk
(Dunkirk )

Os cortes chegam a ser até um pouco confusos, mas com todas as grandes cenas gravadas com câmeras IMAX, não tem como não se encantar com “Dunkirk”O filme se passa durante a Segunda Guerra Mundial e retrata os eventos da Operação Dínamo, quando o exército da Alemanha avançava rumo à França e cercou as tropas aliadas nas praias de Dunquerque. Sob cobertura aérea e terrestre das forças britânicas e francesas, os soltados são lentamente evacuados do local.

O ponto alto do filme é ter sido desenvolvido por Christopher Nolan (de “Cavaleiro das Trevas” e “Interestellar”), um exemplo de quem sabe utilizar as melhores técnicas a seu favor (e não só usar explosões sem contexto, como Michael Bay). Tanto que figura em outras várias categorias técnicas da premiação.

O Destino de Uma Nação
(Darkest Hour )

Gary Oldman (que fez “O Profissional” e “Quinto Elemento”) merece uma menção a parte. Sua atuação está incrível e merece todos os prêmios e indicações que vem recebendo, inclusive por melhor maquiagem, que trabalhou para deixar o ator bem parecido com o interpretado.

O ator interpreta o primeiro-ministro Winston Churchill, quando a Grã-Bretanha estava à beira de perder a guerra para a Alemanha nazista. Sob pressão para fazer um acordo com Hitler para estabelecer o estado como parte do território do Terceiro Reich, Churchill resiste, participando de dos momentos mais importantes da história britânica. Contada de uma maneira muito dinâmica, o roteiro consegue prender nossa atenção e explica fatos que talvez tenham ficados um pouco confusos em outros filmes (como em Dunkirk, que se passa à mesma época). Pra quem gosta de história, é um prato cheio.

A Forma da Àgua
(The Shape of Water )

Guillermo del Toro sempre soube fazer muito bem seus filmes de fantasia, mas em “A Forma da Água” ele consegue transcender toda e qualquer barreira da fantasia. O conto é mostrado de uma forma muito delicada e sensível, com um roteiro perfeitamente bem amarrado e sem perder o ritmo. A criatura interpretada por Doug Jones (“Labirinto do Fauno”) é um ser doce e feroz, mas com muito amor, e os efeitos práticos para o seu visual são perfeitos. A atriz Sally Hawkins (“Blue Jasmine”), mesmo sem emitir nenhuma palavra, consegue transmitir toda a ternura e paixão de sua personagem e seu relacionamento com a criatura é algo digno de qualquer conto de fadas, fazendo do filme inteiro um poema em forma de película. Uma história de amor contada com muita sensibilidade e nos apresentada de uma maneira fantástica que só alguém que esteve por trás de “Labirinto do Fauno” e “O Hobbit” saberia fazer. Suas 13 indicações ao Oscar são mais que merecidas.

Me Chame pelo Seu Nome
(Call me by your Name )

Um ótimo filme sobre o primeiro amor de um adolescente. Contado de uma maneira realista e nem um pouco piegas, “Me Chame Pelo Seu Nome” nos faz embarcar numa jornada de auto-conhecimento, e nos mostra com um tom sóbrio as descobertas sobre o amor. O jovem Elio está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana, mas tudo muda com a chegada de Oliver (Armie Harmer, de “Cavaleiro Solitário”), um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai. Uma boa história, que rendeu indicação a melhor ator para Timotheé Chalamet (Finn da série “Homeland”) como Elio, e mais duas indicações (roteiro adaptado e canção), mas talvez longe de ser um dos favoritos ao Oscar.

 

Lady Bird – É Hora de voar
(Lady Bird )

 

Enquanto “Me Chame Pelo Seu Nome” fala de descobertas amorosas, “Lady Bird” é sobre dilemas da adolescência, com dramas e conquistas, de uma forma muito doce e delicada nos fazendo refletir sobre nossas próprias escolhas. Coincidentemente, com uma participação do ator principal do outro filme, Timothée Chalamet.

Nesta história, a adolescente de forte personalidade Christine McPherson está no último ano do colégio e o que mais deseja é ir fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia rejeitada por sua mãe. Lady Bird, como a garota exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto a hora não chega, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com sua progenitora (Laurie Metcalf, conhecida por sua participação em “The Big Bang Theory”). A relação entre mãe e filha é o ponto alto do filme e tanto Saoirse Ronan quanto Laurie Metcalf estão ótimas em seus papéis, que rendeu indicações às duas. Um ótima opção assistir com a família.

 

The Post – A Guerra Secreta
(The Post )

 

Perfeito para quem gosta de jornalismo!  Até a metade do longa o ritmo é até um pouco lento e arrastado, mas depois que decola fica impossível até de piscar. 

Nesse filme de Steven Spielbergtemos um brilhante roteiro sobre documentos secretos da guerra do Vietnã, com um belo tapa na cara dos governantes. Tom Hanks e Meryl Streep estão ótimos em seus papéis (mas óbvio que isso é chover no molhado). Eles intepretam Ben Bradlee e Kat Graham, editores do The Washington Post, que recebem informações sigilosas sobre sobre o controverso papel do governo dos Estados Unidos no episódio, tomando a decisão – e encarando os desafios – para publicar os bombásticos documentos. Mais do que render o recorde de indicações à Meryl Streep (até agora, 21), “The Post – A Guerra Secreta” rende uma ótima história sobre o passado recente da política americana. 

Trama Fantasma
(Phantom Thread )

 

Nessa conturbada história, Paul Thomas Anderson (de “Boogie Nights” e “Sangue Negro”) nos apresenta um belo thriller recheado de romance, suspense e uma bela reviravolta no final. A trilha sonora é belíssima, o design de produção é impecável e (como já é esperado) Daniel Day-Lewis dá um show de interpretação.

“Trama Fantasma” se passa por volta dos 50, onde um renomado e confiante estilista trabalham vestindo grandes nomes da elite britânica. Ele trabalha ao lado da irmã, Cyril (Lesley Manville, de “Malévola”), e sua inspiração surge através das mulheres que, constantemente, entram e saem de sua vida. Mas tudo muda quando ele conhece a forte e inteligente Alma, que vira sua musa e amante (Vicky Krieps, de “Colônia”).

 

Três Anúncios para um Crime
(Three Billboards Outside Ebbing, Missouri )

 

O longa é uma grande mistura de drama com comédia obscura lindamente executados, que com certeza merece ser marcado como um dos grandes filmes da corrida de premiações. É uma história incrível sobre os caminhos tortuosos da justiça.

“Três Anúncios para um Crime” nos mostra que. inconformada com a ineficácia da polícia em encontrar o culpado pelo assassino de sua filha, Mildred Hayes (Frances McDormand, de “Quase Famosos”) decide chamar atenção para o caso não solucionado alugando três outdoors em uma estrada de Ebbing, Missouri. A inesperada atitude repercute em toda a cidade e suas consequências afetam várias pessoas, especialmente a própria Mildred e o popular Delegado Willoughby (Woody Harrelson, de “Planeta dos Macacos”).  “Três Anúncios Para Um Crime” nos presenteia com uma atuação incrível de Frances McDormand, que consegue transmitir para o espectador toda a dor de uma mãe que perde a filha, sendo digna de ser apontada como uma das favoritas ao prêmio de atriz. Também indicados como coadjuvantes, Woody Harrelson e Sam Rockwell (de “À Espera de Um Milagre”) também estão perfeitos em seus papéis.  

Comente!