Mal Nosso – Terror Nacional

O gênero de terror vem tendo uma alta nos últimos tempos, tanto em qualidade quanto em quantidade. Vemos por aí filmes que derivaram da franquia de Invocação do Mal como Annabelle e A Freira, filmes baseados nas obras do mestre do terror Stephen King como It – A coisa e Cemitério Maldito entre outros. Mas esse aumento de produções de terror é só lá fora? Como anda o Brasil nesse gênero? 

Dentro do Brasil não é diferente. Temos os filmes de Rodrigo Aragão, como Mar Negro e A Mata Negra. Temos o Morto Não Fala de Denilson Ramalho. O Animal Cordial da Gabriela Amaral. E temos também o vencedor de melhor filme de terror da América Latina, de Samuel Galli o filme Mal Nosso e é sobre ele que vamos falar hoje. 

Mal Nosso conta a história de Arthur (Ademir Esteves) um pai que contrata Charles (Ricardo Casela), um assassino profissional para matar alguém. Nada é explicado até Charles assassinar suas vítimas e abrir um vídeo de Arthur explicando suas razões e sua história para o assassino. 

O filme de Samuel Galli teve um problema para mim, o seu início. O filme começa a apresentando Charles em cenas dele torturando e matando mulheres, isso para mostrar que ele era uma pessoa ruim. Esse começo foi desnecessário, já que há outros meios de se apresentar um personagem demonstrando toda a sua perversidade sem a necessidade de colocá-lo torturando e matando mulheres.

Além disso esse início do filme foi simplesmente pra isso, apresentar o personagem com essas características. No restante do filme vemos uma trama espiritual bem mais elaborada e mais interessante do que a história mostrada no início. 

A segunda parte do filme conta a mais espiritual, com visões e contatos com espíritos e exorcismo, mostrando a juventude e como era a vida e como Arthur lidava com essa parte da sua vida. Essa segunda parte do filme serve principalmente para explicar as motivações do Arthur em contratar o assassino. 

O filme no todo é bom, tem elementos interessantíssimos e que foram bem trabalhados, mesmo que eu acredite que o início do filme foi desnecessário ainda recomendo que assista a ele, pelo segundo arco e principalmente para prestigiar o cenário nacional de terror. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *