44ª Mostra de São Paulo – Pari

44ª Mostra de São Paulo – Pari

“Pari”, filme de Siamak Etemadi, presente na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo conta a história da busca de uma mãe pelo seu filho que havia ido até a Grécia para estudar. O longa nos apresenta uma história de drama, suspense e investigação que nos prende do inicio ao fim.

Pari e seu marido haviam combinado de se encontrar com Babak, seu filho, quando desembarcassem na Grécia. Mas, ao chegar lá o filho não foi ao seu encontro e isso traz uma estranheza para Pari e seu marido, visto que a viagem havia sido combinado com um bom tempo de antecedência. Ambos então decidem ir atrás do endereço, mas tal como no aeroporto, não o encontram lá, e ainda recebem a noticia de que ele não mora mais lá há 3 meses.

Quando vão procurar pistas de Babak acabam descobrindo que não conheciam o filho tanto assim. Interessante que durante as suas buscas pela Grécia duas coisas parecem ficar evidenciadas: que de fato realmente não conheciam o filho da forma que pensavam e; todos que estavam em contato com o filho nessa estádia dele no país o conheciam melhor e mais internamente do que os próprios país.

Pari e o marido são colocados em todos os momentos do filme em situações que parecem assustadoras para nós, como dois estrangeiros em um país que não conhecem, acabam se metendo em lugares e situações que colocam em risco a saúde e a vida dos dois, como em meio a um protesto com uma alta anarquista que acaba sofrendo uma grande repressão policial.

Mas além do perigo que os envolve, há também momentos de descoberta de desejos, principalmente no que diz respeito a Pari, que descobre em si desejos que ou não conhecia, ou deixava escondido fundo dentro dela mesmo.

“Pari” nos entrega um filme de drama emocionante, onde as atuações e a história nos emociona e nos instiga em todos os momentos, que faz com que pensemos com carinho em todos os personagens envolvidos, como também sentir a angustia ali representada.

Euller Felix

Euller Felix

Cientista Social. Criador, editor e host do podcast Necronomiconversa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *