Uma pergunta sempre passa na minha cabeça, e eu juro que não entendo: POR QUE isso acontece?

Uma pergunta sempre passa na minha cabeça, e eu juro que não entendo: POR QUE isso acontece?
Reading Time: 3 minutes

Ninguém é obrigado a amar tudo, mas o hate ao cinema brasileiro não faz sentido na minha cabeça


Essa semana na Netflix estreou o filme nacional “Cabras da Peste” e juro se eu vi duas pessoas (Okay da minha bolha, mas só duas pessoas) falando sobre o filme. Infelizmente uma falando mal. E eu não entendo! Pensa em um filme que ri muito… foi esse 🙂 .

Minha indagação: Filmes e seriados nacionais estão em ascensão. E o povo brasileiro, em vez de exaltar, vai até redes sociais pra falar mal, às vezes ido pior que fãs de franquias.

Elenco de “Cabras da Peste”, da Netflix

Uma sanha em criticar

Eu queria assistir todos os filmes nacionais e colocá-los todos no patamar de perfeição ao qual coloco “O Auto da Compadecida” (2000) e “Central do Brasil” (1998). Porém digo que os filmes nacionais têm atingido meu coração em cheio, terror à comédia, todos tem me cativado imensamente.

No começo do ano tivemos o brilhante seriado “Cidade Invisível”, que conta sobre nosso folclore, além da nossa Deusa e Musa Alessandra Negrini fazendo o pesadelo do bicho-papão, o medo da Cuca vir pegar se tornar o sonho de muito marmanjo. E mesmo todo o seriado possuindo fotografias, sequencias, enredo e um elenco de tirar o folego, muitas pessoas se acomodaram em souberam criticar.

Ninguém é obrigado a gostar de tudo, mas entre ter uma visão crítica de uma obra e partir para a internet, dizendo que “o Brasil não faz nada que presta” pra mim foi de mais.

Assista a live do Cinema em Série sobre “Cidade Invisível” 🙂

Uma brasilidade que resiste

Desde O Auto da compadecida, um dos meus filmes favoritos, aprendi a gostar de filmes nacionais, e sempre me surpreendi pois eu vejo que cada vez mais que o cinema nacional, apesar de toda dificuldade, tem trazido surpreendentes. Por exemplo tivemos “O Rastro” (2017), terror que nunca imaginei o nosso cinema fazendo antes dele.

Tecer elogios não é fácil, criticar uma obra nem sempre. Ainda mais quando você começa a se tornar fã, e sempre haverá aquela: “será que estou passando muito pano?”, “será que estou fazendo o certo“? A certeza que se pode ter é de que Brasil está no rumo certo cinematograficamente, não somente nas salas multiplex também para industrias dos streamings.

Digo apenas uma coisa pequeno gafanhoto: Aprenda apreciar mais a nossa cultura e o nosso cinema e seriados. Vá de coração aberto e seja feliz, pois vale a pena sim.

“O Rastro” (2017). Tem mais sobre ele no site

A Vastidão do catálogo nacional

Mas Aline, tem tanto filme nacional assim pra assistir?

Temos filmes maravilhosos que valem cada segundo da nossa atenção. Como falei antes, Cabras da peste te faz rir do início ao fim, parodiando inclusive o vasto catálogo de filmes de ação de Hollywood.

Poderia tecer aqui páginas e páginas de todos os gêneros. De fotografias que nos deixam com vontade de conhecer cada sentimento dessa terra abençoada, sobre escritores que conseguem transformar a nossas vidas em enredos e diretores que conseguem conciliar tudo isso e fazer toda sua equipe técnica ter um olhar com paixão que transforma tudo isso em entretenimento para nós.

Antes de criticar destilando sua negatividade, pondere o quão difícil é fazer entretenimento em nosso país e o mínimo necessário. Você não é obrigado a gostar de todos os filmes, mas também não precisa ter vergonha de elogiar as que você acredita que merecem ser elogiadas. O cinema nacional merece isso, e nós merecemos cultura e entretenimento.

Fiquem em casa galera! Com bom filme nacional, e tenho certeza de que será divertidíssimo.

Algumas recomendações:

Aline Semensato

Aline Semensato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *