Da negação a ciência ao perigo que está lá fora, como Tubarão dialoga com o período de isolamento e o enfrentamento a pandemia. 


Jaws (1975) - Goofs - IMDb

Tubarão (Jaws – 1975) de Steven Spielberg completou 45 anos em 2020. Revi ele recentemente e percebi o quanto esse filme dialoga com os dias atuais e com o que estamos vivendo em meio a uma pandemia. 

Assim como o vírus que nos espreita fora de nossas casas, a população de Amity tem que conviver e temer a criatura que está esperando qualquer vacilo para devorá-los e assim, acabar com a sua vida. 

Semelhante como na pandemia, só existe uma forma de continuar bem e a salvo, o isolamento e o afastamento do foco do perigo. No filme isso é representado pelas pessoas não entrar na água e na nossa realidade por não sair de casa.

Desde o início do filme temos que a presença do tubarão é algo perigoso e que merece muito cuidado. Um oceanografo é chamado para compreender e dizer qual é de fato o perigo, mas todos os seus avisos são ignorados pelas autoridades. 

Jaws, 1975

O prefeito negacionista

O prefeito é a principal voz anti-ciência da cidade. Durante o filme ele não só ignora os avisos dos cientistas, como também incentiva a população a desafiar os avisos. Em um momento, mesmo após ser notificado dos perigos que os aguarda na água, ele incentiva a população a entrar na água para poder passar a sensação de normalidade para a imprensa e para quem não sabe o real perigo.

Além de ignorar os perigos o prefeito da cidade ainda incentiva a volta a normalidade da vida colocando as questões econômicas na frente da vida da população e dos visitantes da cidade. Uma parcela das pessoas que vivem na cidade também luta para uma reabertura da praia e normalização da economia, mesmo que isso custe a vida das pessoas. 

The Mayor From 'Jaws' Is Not A Hero - Humungus - Medium
Prefeito Larry Vaughn

Um filme que continua ótimo

Tubarão envelheceu bem, continua sendo um ótimo filme e nos mostra o quanto é importante confiar na ciência e que agir contra ela pode trazer consequências. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *