Bingo – O Rei das Manhãs | Uma corajosa cinebiografia


Já comentamos anteriormente, mas o cinema nacional atual é marcado por muitas comédias e os outros gêneros acabam sendo deixados de lado. Nesse cenário, fazer uma cinebiografia de uma pessoa tão controversa não deixa de ser um ato de coragem. Um ato que foi muito bem acertado.

Dirigido por Daniel Rezende, indicado ao Oscar por “Cidade de Deus” e premiado montador de “Tropa de Elite 2” “Diários de Motocicleta” e com fotografia de Lula Carvalho (“As Tartarugas Ninja”, “Robocop”), Bingo – O Rei das Manhãs  é inspirado na vida do ator e apresentador Arlindo Barreto. Estrelado por Vladimir Brichta (“Fica Comigo esta Noite?”) Leandra Leal (“O Rastro”), Emanuelle Araújo (“Ó, Paí, Ó”) e Ana Lúcia Torre (“Um Tio Quase Perfeito”), o filme narra as desventuras de Augusto (Vladimir), um artista que sonha em encontrar seu lugar sob os holofotes e que se depara com sua grande chance ao se tornar “Bingo”, um palhaço apresentador de um programa infantil que é sucesso absoluto no Brasil. Porém, uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da maquiagem e Augusto, ou o novo “Rei das Manhãs”, se transforma no anônimo mais famoso do Brasil. Debochado, o ex-astro de pornochanchadas e agora apresentador conquista a garotada e chega a liderança da audiência nas manhãs ao mesmo tempo em que mergulha em uma vida de excessos, que o afasta de seu filho, a única criança que o conhece de verdade.
 .
 .
Apesar do filme contar a história de um apresentador de programa infantil, o roteiro é extramente pesado. A vida de Arlindo foi rodeada de muitos dramas e momento trágicos, mas Daniel Rezende soube muito bem como transmitir os altos e baixos do personagem. Impossível não se emocionar com o drama familiar, principalmente na relação com o filho, que é quase que esquecido pelo pai devido aos excessos que o sucesso trouxe. A montagem e edição frenéticas do longa fizeram com que ele ficasse muito dinâmico e em nenhum momento ficou chato ou monótono. A trilha sonora é a cereja do bolo nesse longa, recheado com grandes clássicos dos anos 80 como Echo & the Bunnymen, Supla, Roupa Nova, Dr. Silvana, entre outros.
O grande destaque fica por conta da incrível atuação de Vladimir Brichta. O ator se superou, nos entregando o que provavelmente foi a melhor atuação de sua carreira. Os trejeitos de Arlindo estão idênticos e o humor e drama necessários são passados na medida certa. Nas cenas dramáticas ou nas engraçadas, Vladimir arrasa e se entrega totalmente ao personagem, deixando o longa ainda mais autêntico.
Bingo – O Rei das Manhãs é daqueles filmes imperdíveis, que devem ser vistos por todos. Uma bela obra que conta sobre o drama da vida de uns personagens mais conhecidos do Brasil nos anos 80 além de uma aula de como deve ser feito cinema no Brasil.
 .

Comente!