Carta aberta de Peter Jackson para Christopher Lee


jackson_lee“Com tremenda tristeza que tomei conhecimento da morte de Christopher Lee. Ele tinha 93 anos, não teve sua habitual boa saúde por um tempo, mas o seu espírito manteve-se, como sempre, indomável. Christopher falava sete idiomas. Era, em todos os sentidos, um homem do mundo. Bem versado nas artes, política, literatura, história e ciência. Ele era um estudioso, um cantor, um contador de histórias extraordinárias e, é claro, um ator maravilhoso.

Um dos meus passatempos favoritos ao visitar Londres era ver Christopher e Gitte, que me emocionou com histórias sobre sua vida maravilhosa. Eu gostava de ouvir e ele adorava contar histórias sobre seu tempo na Força Aérea na Segunda Guerra Mundial, os anos de terror em Hammer, e depois trabalhar com Tim Burton, que ele se sente imensamente orgulhoso.

Fiquei muito feliz de estar trabalhando com Chris em cinco filmes e eu nunca deixei de sentir a emoção de vê-lo em conjunto. Eu me lembro dele me dizendo que no meu aniversário de 40 anos (era 80): ‘Você é a metade do homem que eu sou’. Seja metade do homem que Christopher Lee é mais do que eu poderia esperar. Ele era um verdadeiro cavalheiro, em uma era em que as pessoas não apreciam o cavalheirismo.

Eu cresci amando filmes Christopher Lee. Para a maior parte da minha vida, eu fui cativado pelos papéis icônicos criadas por ele no começo e continuou décadas mais tarde. Em algum lugar ao longo do caminho, Christopher Lee, de repente, e magicamente, dissolveu-se e tornou-se meu amigo, Chris. E eu amo Chris ainda mais.

Nunca haverá outro como Christopher Lee. Ele tem um lugar único na história do cinema e nos corações de milhões de fãs ao redor do mundo. O mundo será um lugar mais pobre sem ele. Minhas profundas condolências à Gitte, sua família e amigos.

Descanse em paz, Chris. Um ícone do cinema tornou-se lenda”.

 

(Peter Jackson, via internet, em homenagem Christopher Lee, morto domingo – 7).

Comente!